segunda-feira, 17 de outubro de 2005

Sábado, 3 da Tarde

Que porra de vida era aquela? Acordar cambaleando, tomar café amargo e frio. Ressaca do caralho. Não se lembrava de como fora parar ali, no chão. Olhou pro lado e viu uma garrafa de plástico de pinga, amassada. Gosto de azia. Levantou-se, ligou a televisão. Sacou que era sábado, que aquela semana infernal tinha acabado e logo começaria novamente. Não sabia o que fazer. Não queria comer. Colocou um cd do Lou Reed. Flashes, traços de memória, um soco. Olhou no espelho. Hematoma roxa no olho esquerdo. Uma putinha correndo e gritando. Escuro. Que merda aconteceu? Foda-se. Telefone toca. Não quer atender. Uma leve melancolia bate, esparrama-se pelo chão, acha um cigarro e o acende. Não quer comer, sente seu estômago corroer. Abre a geladeira. Um resto de pinga. Apoia-se na porta, vira todo o resto em um gole. Gospe, os olhos lacrimejam. Chuta o lixo, soca a parede. Lembra-se de Sarah, de seu rosto fechado ao partir e deixar tudo... quebrado. Não sente sua mão enxarcada de sangue. Não sente seu peito bater. Não sente-se. Just a perfect day...
Trilha Sonora: Modest Mouse "Trailer Trash"; Lou Reed "Perfect Day".

2 comentários:

Anônimo disse...

Dae luiz, valeu por passar no meu flog...td de bom pra vc...vc merece.bjs

dieny disse...

Ah esse ultimo ai fui eu..haha...Dieny