sábado, 27 de novembro de 2010

Sentir

Um corpo pulsa. Uma mente tenta negar o tempo todo. Tenta-se uma explicação lógica para algo que o próprio corpo tenta compreender. E não há. Razão - Sublimação. Não dá? Como sufocar o que estou sentindo agora. Não sou eu. Fantasma? Não. Nunca me abri para isto. Sempre fugi. Fugindo. Mas que porra é essa? Pode explicar-me?

Perdido. Dentro de mim. Desejo, desejo, desejo. Por que sou assim? A preço de que? Já quis ser tanta coisa. Hoje sou algo. Mas luto ainda, contra mim mesmo? Live and let die. Tudo caminha para algo tão certo. Mas alguém questionou o que é o certo?

Vagando dentro de mim sentimentos que nunca puderam ser experimentados. Como consegui por tanto tempo? Talvez há de vazar. E ai não há mais o que fazer, a não ser: somente sentir.


sábado, 20 de novembro de 2010

Ultimamente as coisas andam tão estranhas... da vontade de nem escrever - e nem escrevi mesmo! Tenho a leve impressão de que quando não escrevo é porque a vida simplesmente andou... seguiu, aconteceu como deveria ter acontecido. Ou não. Só andou, e o maluco aqui não quis pará-la e perguntar: "what's happened my friend?
Ah sei lá. Estou em Curitiba agora. Terra da teoria e depressão. Mas estou bem! Como Porto União me fez bem... Ela não fez nada. Só eu resolvi buscar minha própria vida e deu certo. E não é que eu levo jeito para isso! - doce constatação. Ah se eu soubesse que ser feliz é legal assim, eu tinha pensado nisso antes. Só achei amigos. Achei alguém que me ame. Achei uma cidade que me quis. E precisa mais?